podcast do isaúde brasil

Publicada em 19/02/2020 às 00h00. Atualizada em 19/02/2020 às 13h46

Vai beijar nesse carnaval? É bom ter alguns cuidados!

Confira, nesta entrevista com a cirurgiã bucomaxilofacial, Dra. Lívia Prates Zerbinati, quais são as principais doenças que se pode obter pelo beijo na boca, qual a importância da regularidade da higiene bucal e o que é o popular sapinho.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

iSaúde – Quais tipos de doenças podem ser contraídas pelo beijo? Pode citar os sintomas de cada uma delas?

Dra. Lívia Zerbinati – As doenças transmissíveis pelo beijo são todas infecciosas e apresentam diferentes gravidades e tratamentos.

Todas as infecções que podem ser contraídas pela saliva podem ser denominadas como doenças do beijo, porém algumas são mais comuns:

Mononucleose – é comumente chamada de “a doença do beijo”. É uma infecção causada pelo vírus Epstein-Barr, que faz parte da família do Herpes vírus. Geralmente, os sintomas são apenas febre alta, dor de garganta, linfonodos (gânglios) infartados no pescoço; em raros caos, porém, algumas pessoas apresentam alterações no fígado e no baço.

Herpes simples – são vírus muito comuns e manifestam-se em dois tipos, os vírus de tipo 1 (oral) e 2 (genital), porém, hoje já não existe distinção de local de transmissão desses dois tipos de vírus. Provocam lesões bolhosas na pele e nas mucosas, a reação de contato inicial é bem parecida com a mononucleose e podem reativar periodicamente na forma de bolhas.

Gripes e resfriados – apesar dos sintomas semelhantes entre a gripe e o resfriado, eles são diferentes em relação ao agente causador. A gripe ocorre quando o organismo é infectado pelo vírus influenza, enquanto o resfriado pode ser causado por vários tipos de vírus, como o rinovírus ou coronavírus. Provocam febre, dores de cabeça e no corpo, tosse, coriza, mal-estar e fraqueza. Ainda mais fortes, os casos de H1N1, apesar de menos frequentes, a doença ainda não desapareceu. O vírus da gripe, que foi a mais temida em 2009, ainda está por aí, fazendo novos casos. Se a transmissão pode ocorrer por meio de um espirro, imagine o que um beijo, onde a troca de saliva é muito grande, pode fazer!

"... beijar na boca de múltiplos parceiros aumenta em até quatro vezes a chance de pegar meningite meningocócica. Essa doença pode ser a causa de febre alta, mal-estar, vômitos, forte dor de cabeça e no pescoço, rigidez dos músculos da nuca, ombros e costas. Se não for corretamente tratada pode levar até ao óbito."

Meningites – ocorrem quando bactérias ou vírus vencem as defesas do organismo e atingem as meninges (membranas que envolvem e protegem o encéfalo, a medula espinhal e outras partes do sistema nervoso central). De acordo com estudos realizados, beijar na boca de múltiplos parceiros aumenta em até quatro vezes a chance de pegar meningite meningocócica. Essa doença pode ser a causa de febre alta, mal-estar, vômitos, forte dor de cabeça e no pescoço, rigidez dos músculos da nuca, ombros e costas. Se não for corretamente tratada pode levar até ao óbito.

Cárie -  é uma doença multifactorial, portanto, seu surgimento pode ocorrer devido ao excesso de carboidratos e sacarose na alimentação; também depende da estrutura sociocultural, aspectos hereditários e imunológicos da pessoa. Porém, os micro-organismos presentes na cavidade bucal não são determinantes, mas, sim, participativos para o desenvolvimento de cárie. Alguns profissionais afirmam que o contato pode transmiti-la. E, para que isso não ocorra, deve-se caprichar na escovação e não abrir mão do fio dental diariamente, o que fortalece a imunidade bucal, impedindo, assim, que as bactérias encontrem um ambiente propício ao desenvolvimento.

Além dessas doenças, existem muitas outras que são transmitidas pela saliva, como rubéola, sarampo, meningite, caxumba, tuberculose e catapora. No caso delas, conversar, tossir ou espirrar a menos de um metro de distância da pessoa já pode ser perigoso.

iS – São sempre doenças não muito perigosas, cujos sintomas tendem a desaparecer brevemente?

Dra. Lívia Zerbinati – Nem sempre! No caso das meningites e das gripes, dependem muito da imunidade do hospedeiro para causar consequências graves.

iS – Para quem gosta de aproveitar festas como o Carnaval beijando muitas pessoas, a higiene bucal, após a festa, minimiza, de alguma forma, o risco de aparecimento de alguma doença?

Dra. Lívia Zerbinati – A higiene bucal é importante para diminuir a quantidade de bactérias e contribui para uma boa imunidade local. Por isso, é importante dar atenção à ela sempre! Porém, a escovação apenas pontualmente, após o beijo, não reduz o risco de infecções. Importante é ser preventivo e não se expor a contaminações desnecessariamente.

iS – O que é o popular sapinho? Quais seus sintomas? Também é contraído pelo beijo?

Dra. Lívia Zerbinati – Sapinho (candidíase oral) é uma micose causada por fungo denominado de Candida albicans, que atinge especialmente a cavidade bucal. Esse fungo faz parte da flora no trato gastrointestinal e no genital, portanto, está presente no organismo normalmente. Não causa geralmente sintomas em um indivíduo sadio, mas quando há um desequilíbrio no ambiente em que ele vive como, por exemplo, uma deficiência em nosso sistema imunológico, se prolifera e causa a doença. O sintoma principal do sapinho é o surgimento de uma camada branca sobre as mucosas da boca, podendo se estender pela língua, bochecha e garganta. Os indivíduos mais afetados são os bebês e pessoas com doenças imunossupressoras como a SIDA (AIDS). Assim como a cárie e outras infecções, também pode ser transmitida pelo beijo.

Compartilhe