podcast do isaúde brasil

Publicada em 25/08/2020 às 10h40. Atualizada em 25/08/2020 às 10h59

Saiba como técnicas de tratamento odontológico podem corrigir o sorriso gengival

Conheça a harmonização orofacial com a utilização da toxina botulínica.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

Você está insatisfeito com seu sorriso? Seu sorriso mostra muito a sua gengiva? Se sua resposta foi positiva para uma dessas perguntas, pode ser que você apresente sorriso gengival – exposição excessiva da gengiva ao sorrir, aspecto facial que pode influenciar na autoestima, relacionamento social e qualidade de vida de muitas pessoas.

A harmonia estética da face é composta pela união dos dentes, gengiva e lábios. Quando esses elementos não estão dispostos proporcionalmente, há a necessidade de avaliação profissional com a participação do paciente na indicação do tratamento. Dentre as causas do sorriso gengival, têm-se o crescimento ósseo vertical da arcada superior, a função aumentada dos músculos do sorriso e a redução do tamanho dos dentes, que podem ocorrer isoladamente ou em combinação e influenciam o tratamento a ser realizado.

O sorriso gengival  pode ser tratado a partir de procedimentos mais simples como a Harmonização Orofacial (HOF) com a Toxina Botulínica (TxBo), ou a associação desta técnica com a cirurgia de correção gengival (gengivoplastia), de maneira a evitar procedimentos mais complexos como a cirurgia ortognática (cirurgia para diminuir e reposicionar o osso da maxila), por exemplo.  

Para os pacientes que se queixam da exposição gengival com indicação de gengivoplastia, mas apresentam pânico de dentista, o uso da TxBo se apresenta como uma alternativa para a melhora e até correção, mesmo que temporária, de alguns casos sem a necessidade de cirurgia. A  Toxina Botulínica deve ser aplicada em pequenas doses na região facial próximo à asa do nariz, de maneira a controlar os músculos envolvidos no levantamento do lábio superior, impedindo a contração muscular. Então, ao sorrir, o lábio fica controlado e evita a exposição excessiva da gengiva. 

Os efeitos clínicos da toxina são manifestados em 2 a 10 dias após a injeção, apresentando efeito máximo visível após 14 dias, com duração média de 3 a 6 meses. Assim, caso o paciente tenha o desejo da continuidade do resultado estético após esse período, deve-se fazer nova aplicação respeitando um intervalo de 90 dias.

As contraindicações ao uso da TxBo incluem gestantes e lactantes, pacientes com doenças degenerativas e autoimunes, pacientes em uso de antibiótico que potencializa a ação da toxina, dentre outros. Vale destacar que, após as deliberações do Conselho Federal de Odontologia (CFO) quanto a utilização da toxina, seu uso foi liberado em diversas condições clínicas com segurança para o cirurgião-dentista habilitado em Harmonização Orofacial e para os pacientes.

A Toxina Botulínica, quando bem indicada, reduz ou bloqueia a atividade muscular acentuada, tornando-se um tratamento seguro, confortável e reversível. O paciente sempre deve procurar um cirurgião dentista que trabalha com Harmonização Orofacial para uma avaliação e plano de tratamento adequados de maneira a corrigir o sorriso gengival, contribuindo para a melhora da sua autoestima e qualidade de vida.

Referências:

Barbosa CMR, Barbosa JRA. Toxina botulínica em odontologia. 1. ed. – Rio de Janeiro: Elsevier, 2017.

Bispo LB. A toxina botulínica como alternativa do arsenal terapêutico na odontologia. Univ. Cid. São Paulo 2019; 31(1):74-87.

Pedron IG, Varoli FP, Medeiros JMF, Shitsuka C. Harmonization of gummy smile by techniques of gingivoplasty and botulinum toxin application. J Health Sci Ins. 2019; 37 (3):255-259.

Gupta N, Kohli S. Evaluation of a neurotoxin as an adjunctive treatment modality for the management of gummy smile. Indian Dermatol Online J 2019;10:560-3.

Compartilhe

Saiba Mais