podcast do isaúde brasil

Publicada em 05/07/2018 às 13h33.

Você sabia que a vacina BCG previne a Tuberculose?

Sintomas como tosse seca ou produtiva por três semanas ou mais, febre vespertina, perda de peso, sudorese noturna, dor torácica, falta de ar e fraqueza, podem indicar tuberculose pulmonar.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

“É importante destacar que anualmente ainda morrem 4.500 pessoas por tuberculose, doença curável e evitável”.

A vacina BCG ou Bacilo de Calmette-Guérin  é uma das mais utilizadas em todo o mundo contra a tuberculose (TB) – doença infecciosa e contagiosa, causada por um microorganismo denominado Mycobacterium tuberculosis, o de bacilo de Koch (BK). Entretanto, a doença persiste como um dos mais importantes problemas de saúde pública. As variações na eficácia da vacina BCG têm sido atribuídas a diversos fatores relacionados ao hospedeiro, ambiente, cepas vacinais (variante genética específica de um organismo), dose e métodos de administração da vacina.

A efetividade da vacina BCG varia entre 0% e 80%. A proteção é maior contra as formas graves, como meningite tuberculosa e tuberculose miliar (tuberculose em que aparecem pequenos tubérculos* disseminados) (70%) do que contra as formas pulmonares (50% a 55%). Geralmente, a proteção é mais baixa nos locais onde os coeficientes de incidência da doença são extremamente elevados. Apesar disso, mesmo nas regiões de extrema pobreza e altos índices de desnutrição, a vacina BCG administrada nos primeiros meses de vida confere proteção contra a meningite tuberculosa.
* ou nódulos de tuberculose são pequenas lesões que consistem em tecidos mortos de cor acinzentada contendo a bactéria da tuberculose.

IDADE DE APLICAÇÃO DA VACINA

A partir do nascimento. Desde que não tenha sido administrada na unidade neonatal, a vacina deve ser feita ao completar o primeiro mês de vida ou no primeiro comparecimento à unidade de saúde. Pessoas com qualquer idade podem ser vacinadas. É indicada principalmente para prevenir as formas graves da tuberculose em crianças com menos de cinco anos de idade, mais frequentes em menores de um ano. É indicada também para crianças HIV-positivas sem sintomas e filhos de mães HIV-positivas. É contra-indicada nos indivíduos HIV – positivos com sintomas.

NÚMEROS DE CASOS NO BRASIL  

A tuberculose (TB) continua sendo um importante problema de saúde mundial, exigindo o desenvolvimento de estratégias para o seu controle considerando aspectos humanitários, econômicos e de saúde pública. O Brasil é um dos 22 países priorizados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que representam 80% da carga mundial de TB. Em 2007, o Brasil notificou 72.194 casos novos, correspondendo a um coeficiente de incidência de 38/100.000 hab. Destes, 41.117 casos novos foram bacilíferos (casos com baciloscopia* de escarro positiva), apresentando um coeficiente de incidência de 41/100.000 hab. Vale salientar, que os casos bacilíferos são de grande importância epidemiológica, visto que correspondem aos pacientes que têm o poder de transmitir a doença.
*É um exame realizado com o escarro do paciente suspeito de ser vítima de tuberculose

Estes indicadores colocam o Brasil na 19ª posição em relação ao número de casos e na 104ª posição em relação ao coeficiente de incidência. A distribuição dos casos está concentrada em 315 dos 5.564 municípios do país, correspondendo a 70% da totalidade dos casos. O estado de São Paulo detecta o maior número absoluto de casos e o estado do Rio de Janeiro apresenta o maior coeficiente de incidência.

É importante destacar que anualmente ainda morrem 4.500 pessoas por tuberculose, doença curável e evitável. Em sua maioria, os óbitos ocorrem nas regiões metropolitanas e em unidades hospitalares. Em 2008 a TB foi a 4ª causa de morte por doenças infecciosas e a 1ª causa de morte dos pacientes com AIDS.

TRANSMISSÃO

De acordo com o Ministério da Saúde, as ações para o controle da tuberculose no Brasil têm como meta diagnosticar 90% dos casos esperados e curar 85% dos casos diagnosticados, além de garantir boas coberturas vacinais.

A tuberculose é uma doença que se propaga através do ar, por meio de gotículas contendo os bacilos expelidos por um doente com tuberculose pulmonar ao tossir, espirrar ou falar em voz alta. Quando estas gotículas são inaladas por pessoas sadias, provocam a infecção tuberculosa e o risco de desenvolver a doença.

A tuberculose é transmitida de pessoa para pessoa através do ar e sua propagação está intimamente ligada às condições de vida da população. Prolifera como todas as doenças infecciosas, em áreas de grande concentração humana, com precários serviços de infra-estrutura urbana, como saneamento e habitação, onde coexistem a fome e a miséria. Por isto, a sua incidência é maior nas periferias das grandes cidades, podendo, porém, acometer qualquer pessoa mesmo em áreas rurais.

Quando uma pessoa inala as gotículas contendo os bacilos de Koch, muitas delas ficam no trato respiratório superior (garganta e nariz), onde a infecção é improvável de acontecer. Contudo, quando os bacilos atingem os alvéolos pulmonares a infecção pode se iniciar. Uma vez infectada, a pessoa pode desenvolver tuberculose doença em qualquer fase da vida. Isto acontece quando o sistema imune não pode mais manter os bacilos sob controle e eles se multiplicam rapidamente. A pessoa que apresenta sintomas e sinais como tosse seca ou produtiva por três semanas ou mais, febre vespertina, perda de peso, sudorese noturna, dor torácica, falta de ar e fraqueza, é considerada caso suspeito de tuberculose pulmonar.

TRATAMENTO DA TUBERCULOSE

“Portanto, apesar de ser considerado um grande problema de saúde pública, a TB pode ser facilmente diagnosticada e, quando tratada de maneira adequada, tem garantia de 100% de cura”.

Todo caso suspeito deve ser encaminhado a uma Unidade Básica de Saúde (UBS) para diagnóstico e início do tratamento, se for o caso. Todos os medicamentos são disponibilizados pelo Ministério da Saúde e o profissional os dispensa mensalmente, no momento da consulta, para o paciente. Após quinze dias de tratamento, o paciente deixa de transmitir a doença, o que reforça a necessidade de diagnosticar precocemente os doentes.

Portanto, apesar de ser considerado um grande problema de saúde pública, a TB pode ser facilmente diagnosticada e, quando tratada de maneira adequada, tem garantia de 100% de cura. O paciente deve ser acompanhado de perto pelo profissional de saúde para evitar abandono, uma vez que o tratamento é longo, durando, no mínimo, seis meses. A vacina e o tratamento estão disponibilizados nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) distribuídas em distritos sanitários e também é comercializada nas clínicas particulares de vacinação em Salvador.

Palavras Chave:

vacina BCG tuberculose pulmao
Compartilhe

Contra-indicações

Imunodeficiência congênita ou adquirida, incluindo crianças infectadas pelo HIV que apresentem sintomas da doença. Embora não apresentem contra-indicações absolutas, recomenda-se adiar a vacinação com BCG em recém-nascidos com peso inferior a 2.000g e em presença de afecções dermatológicas extensas em atividade.

Serviços Gratuitos
  • 1ª DIRES / Salvador
    Tel: (71) 3462-2938
    Rua Beija Flor Número 228 - Imbuí
  • Distrito Sanitário Centro Histórico
    2º C.S. Ramiro de Azevedo,Largo do Campo da Pólvora, 08, Nazaré

  • Distrito Sanitário de Brotas
    C.S. Manoel Vitorino
    Av. Dom João VI, nº.450, Brotas
  • Distrito Sanitário Barra
    5º C.S. Clementino Fraga
    Av. Centenário, s/n, Centenário