podcast do isaúde brasil

Publicada em 31/05/2016 às 14h01. Atualizada em 02/06/2016 às 08h41

Álcool mata bactérias?

Lavar as mãos com água e sabão é mais ou menos eficaz que a higienização com álcool? Saiba mais!

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

O álcool é classificado como um desinfetante de nível intermediário. Isso quer dizer que ele consegue inativar as formas vegetativas de bactérias da maioria dos vírus e dos fungos.

Para quem opta pelo uso do álcool, a concentração alcoólica do produto deve ser de 70% para matar bactérias e vírus. 

A substância realiza a desinfecção e destruição de micro-organismos, patogênicos ou não, na forma vegetativa, presentes em objetos inanimados.

Trata-se de um antisséptico excepcional, por conter características microbicidas direcionadas aos micro-organismos mais frequentes e ser de fácil aplicabilidade, ter baixo custo e reduzida toxicidade.

O álcool está entre os antissépticos mais seguros, não só pela sua baixíssima toxicidade, mas também pelo seu efeito microbicida rápido e de fácil aplicação. Dessa forma, provê rápida antissepsia em procedimentos como punções venosas e, é excepcional para higienização das mãos.

E necessário higienizar as mãos com frequência, principalmente depois de tossir, espirrar e ter contato com superfícies, em que o vírus da gripe pode permanecer vivo por até oito horas.  A higienização também é recomendada antes de comer e depois de usar banheiros".

Atenção:

Para o uso doméstico, é preciso ter muito cuidado!  

A aplicação de álcool na limpeza doméstica é um perigo, pois acontecem muitos acidentes levando a queimaduras graves e até óbitos. Por isso, para tentar reduzir o número de acidentes domésticos a Anvisa determinou a comercialização do álcool somente em forma de gel.  

O envolvimento de toda a sociedade, na promoção da educação e conscientização é fundamental para a prevenção de acidentes causados pelo uso inadequado do álcool no ambiente domiciliar.  

Palavras Chave:

Compartilhe

Saiba Mais