podcast do isaúde brasil

Publicada em 06/02/2015 às 12h07. Atualizada em 10/02/2015 às 21h10

Baço: o que é, para que serve e qual a sua importância

Ele é uma das partes do sistema linfático e vascular. Saiba mais!

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

Poucos órgãos do corpo humano são tão desconhecidos da maioria das pessoas como o baço. Talvez isso aconteça pelo seu porte diminuto – o baço humano médio saudável tem mais ou menos 12 centímetros de comprimento, 7 centímetros de altura, 4 centímetros de espessura e cerca de 150 gramas de peso – ou pelo fato de que ele seja um órgão que, eventualmente, em determinadas situações, precise ser retirado do corpo sem que isso implique de maneira muito grave a saúde do indivíduo (embora sua remoção possa torná-lo mais vulnerável a infecções).

"O baço é um órgão do tipo glandular, de um vermelho-azulado escuro, mole, localizado na região superior esquerda da cavidade abdominal, em contato com o pâncreas, o diafragma e o rim esquerdo."

O baço é um órgão do tipo glandular, de um vermelho-azulado escuro, mole, localizado na região superior esquerda da cavidade abdominal, em contato com o pâncreas, o diafragma e o rim esquerdo. Não é considerado uma glândula endócrina, pois não produz secreções, porém, no caso de algumas doenças, o baço é responsável pela liberação de um hormônio que afeta a produção dos glóbulos vermelhos do sangue (as hemácias, bem conhecidas) na medula óssea. 

No início da vida humana, ainda no feto, o baço é responsável pela fabricação de hemácias e leucócitos (os glóbulos brancos, células de defesa imunológica). Quando nasce o bebê, essa primeira função desaparece, mas ela pode ser reativada em determinadas situações, como quando aparece uma enfermidade que comprometa essa produção por parte da medula óssea. Esse órgão também está presente em praticamente todos os animais vertebrados e desempenha várias funções importantes em nosso corpo.

Ele é uma das partes do sistema linfático e vascular e tem a peculiaridade de eliminar micro-organismos patogênicos, assim como de destruir hemácias que nascem anômalas, que ficam alteradas ou envelhecidas. Além disso, o órgão extrai o ferro a partir da hemoglobina dos glóbulos vermelhos, para ser aproveitado pelo organismo. Da mesma forma, também retira substâncias residuais que precisam ser excretadas.

De maneira geral, as funções do baço como parte do sistema imunológico referem-se ao seu funcionamento como um filtro e um reservatório de sangue. Nos seres humanos, ele aparece como reservatório de grandes quantidades das células do sistema imunológico conhecidas como monócitos e de outras células sanguíneas. Ele é acionado quando o organismo entra em processo de hemorragia. O baço produz anticorpos contra vários tipos de células do sangue e micro-organismos infecciosos. Algumas condições e infecções podem causar aumento de seu tamanho, problema que é denominado esplenomegalia.

PRODUÇÃO DE SANGUE

A principal função do baço é a de filtrar o sangue. Justamente porque o sangue perpassa esse órgão, é que lá são verificados os aspectos dos glóbulos vermelhos. Aquelas hemácias mais velhas, deformadas ou danificadas são removidas. Ao final do processo, as hemácias saudáveis são divididas por grandes glóbulos brancos chamados macrófagos. A partir daí é que o baço assimila os elementos úteis, como o ferro. 

O ferro é muito importante na produção de uma proteína importante do sangue, a hemoglobina. É ela quem realiza o transporte do oxigênio dos pulmões para todas as outras partes do organismo. Para que isso aconteça, antes, é na forma de ferritina ou bilirrubina que o ferro finalmente retorna para a medula óssea e é utilizado para produzir a hemoglobina. O baço é capaz de liberar um pouco de sangue de reserva, que fica armazenado em seus vasos, em caso de ocorrência de sério trauma ao corpo, como um ataque cardíaco, uma lesão profunda ou uma invasão microbiana. É nessas horas que os monócitos vão ser imprescindíveis.

DOENÇAS PREJUDICIAIS AO BAÇO

A esplenomegalia – ou aumento das dimensões do baço – pode ser causada por várias doenças e isso termina por interromper as suas funções. Esse é o principal problema de saúde associado ao baço. Também podem resultar num alargamento do órgão enfermidades como calazar, anemia, câncer de linfoma, malária, lúpus sistemático, leucemia, doenças hepáticas como a cirrose e infecções diversas. O aumento de tamanho é consequência da concentração de glóbulos e plaquetas, o que pode aumentar o risco de outras doenças e infecções. Há muitas condições que podem fazer o baço humano aumentar de volume e se encher de sangue. Se a condição subjacente for tratada, o baço poderá voltar, em muitos casos, ao tamanho normal. 

O aumento significativo no tamanho do baço também pode ser consequência de uma ruptura do órgão, que provavelmente vai demandar cirurgia para remover uma parte dele ou até mesmo o baço inteiro. Embora ele execute diversas funções importantes, o baço não é considerado um órgão vital e os seres humanos podem sobreviver após a sua remoção, em casos como os mencionados acima. Quando acontece a remoção cirúrgica do órgão inteiro, a maior parte das funções do baço é absorvida pelo fígado, gânglios linfáticos e outros órgãos do corpo. Se a remoção for apenas parcial, no entanto, o órgão pode se regenerar.

O inchaço do baço diminui quantidades excessivas de células sanguíneas e plaquetas. As plaquetas sanguíneas desempenham um papel essencial no processo de coagulação e, quando elas não estão disponíveis em quantidade suficiente, a coagulação cessa e o risco de perda significativa de sangue, através de hemorragias, se torna preocupante. Além da baixa do número de plaquetas, o próprio inchaço do órgão com grandes quantidades de células sanguíneas pode resultar na sua ruptura.

A ruptura do baço causa dor abdominal. O sangue acumulado na cavidade abdominal irrita e piora o quadro, fazendo com que os músculos abdominais se retesem e contraiam de forma reflexa. Se o sangue for extravasado aos poucos, os sintomas somente se revelam quando a pressão arterial cai ou o oxigênio já não chega ao cérebro e ao coração. A administração imediata de transfusões de sangue para se manter uma circulação adequada e a cirurgia para interromper o sangramento são dois procedimentos imprescindíveis: sem isso, o paciente pode entrar em choque e morrer.

POLPA BRANCA E VERMELHA

O baço é composto por duas polpas, que são constituídas por tecido mole. A polpa branca faz parte do sistema de defesa e se constitui de nódulos linfáticos. Entre esses nódulos, encontra-se a polpa vermelha, que é feita de tecido sanguíneo (glóbulos vermelhos e brancos). A polpa branca integra o sistema de defesa (sistema imune) e a polpa vermelha retira os materiais inúteis do sangue. 

Alguns tipos de leucócitos, os linfócitos, produzem anticorpos protetores e desempenham papel importante no combate às infecções. Os linfócitos são produzidos e amadurecem na polpa branca. A polpa vermelha agrega outros tipos de leucócitos (fagócitos) que ingerem o material indesejado (como as células velhas ou defeituosas) do sangue circulante.

Por isso é que a polpa vermelha é comparada a um “cemitério” para essas células defeituosas. Ela também funciona como depósito de elementos do sangue, notadamente de leucócitos e plaquetas. Quando é realizada uma esplenectomia (remoção cirúrgica do baço), o corpo perde parte da sua capacidade de produzir anticorpos protetores e de remover bactérias indesejáveis do sangue. 

DIAGNÓSTICO

Em geral, um médico experiente consegue palpar um baço aumentado de tamanho durante o exame físico. Poderá utilizar ainda uma radiografia do abdômen. Em outros casos, pode se tornar necessário uma tomografia computadorizada (TC) para se verificar com mais exatidão o grau de crescimento do órgão e também se ele está comprimindo outros órgãos próximos. A ressonância magnética (RM) é um outro tipo de exame que provê informações similares e determina o fluxo sanguíneo através do baço. Alguns aparelhos de escaneamento especializado com partículas levemente radioativas dimensionam o tamanho e informam se ele está acumulando ou destruindo grandes quantidades de células do sangue. 

A forma e o tamanho das células sanguíneas, vistas microscopicamente, podem oferecer dados sobre a causa do aumento de tamanho do baço. Examinando-se a medula óssea, é possível detectar a presença de um câncer de células sanguíneas (como a leucemia ou o linfoma) ou acúmulo de substâncias a descartar. Tudo isso pode ser razão de aumento de tamanho do baço. Monitorar o grau de concentração das proteínas séricas é essencial para evitar distúrbios como o mieloma múltiplo, a sarcoidose, a amiloidose, a malária, o calazar, a brucelose e mesmo a tuberculose. 

CURIOSIDADES

* A fadiga é um sintoma comum de um baço inchado. Nesses casos, está relacionada geralmente a um quadro de anemia.

* O inchaço do baço muitas vezes causa dor na parte superior esquerda da cavidade abdominal. Essa dor pode irradiar para o ombro esquerdo e também se espalhar para a área do flanco posterior.

* O paciente pode sentir dificuldades na respiração e a dor associada com um baço inchado piora a cada vez que se realiza uma respiração profunda.

* Quando está inchado, o baço pode pressionar o estômago e causar uma sensação de “barriga cheia” mesmo quando pequenas quantidades de alimentos são ingeridas.

* Dor muito forte, febre alta e infecção crônica são condições preocupantes de um alargamento do baço e justificam o atendimento de emergência. 

Palavras Chave:

Compartilhe

Saiba Mais