podcast do isaúde brasil

Publicada em 10/08/2012 às 00h00.

Conheça o método ABP

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

No que se refere ao ensino superior, é possível encontrar diversas instituições que vêm adotando diferentes metodologias de ensino que possibilitam uma construção do conhecimento de forma diferenciada. As denominadas metodologias ativas vêm sendo as mais utilizadas, principalmente pelos cursos da área de saúde, encontrando-se, entre elas, a Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP). O objetivo desta concepção metodológica é capacitar os estudantes a adquirir e estruturar conhecimento de forma eficiente, acessível e integrada. 

"A aprendizagem ocorre a partir da necessidade da busca de respostas correspondentes às situações problemas e estudos de caso que lhe são oferecidos durante as aulas".

A aprendizagem ocorre a partir da necessidade da busca de respostas correspondentes às situações problemas e estudos de caso que lhe são oferecidos durante as aulas. Dentro desse raciocínio, o processo é guiado pelo estudante e não centrado no professor, que irá lançar mão de recursos possíveis para atender e resolver a problemática apresentada.  Nessa lógica espera-se que os estudantes sejam participantes ativos na identificação de suas próprias necessidades de aprendizagem e que persigam o conhecimento e habilidades necessários para sua formação profissional. O professor, nesse contexto, tem como função a coordenação, atuando como um facilitador/tutor.  Cabe a ele acompanhar o processo dos alunos, tanto na aprendizagem e pesquisa de informações quanto na correção dos relatórios ao final do processo. 

O processo de avaliação também merece destaque quando se refere a inovações no ensino superior. O estudante de medicina, pedagogia, arquitetura, terapia ocupacional, dentre outros, poderá ter como um dos instrumentos de avaliação de seu conhecimento: o portfólio, um memorial ou um mapa conceitual, por exemplo. Estes nada mais são que instrumentos de avaliação que não buscam apenas um exame do ponto de vista quantitativo, mas sim, avaliar a partir de uma perspectiva investigativa e qualitativa, em que é possível acompanhar os avanços do estudante tendo como parâmetro ele mesmo em seu processo.  

E, por fim, o estudante, principalmente das universidades, tem recebido oportunidades de vivenciar seu processo acadêmico de forma mais lúdica. Já é possível encontrar cursos em que os estudantes mostram sua criatividade através de projetos culturais, das diversas Tecnologias da Informação ou de mostra de talentos. Na era digital, as redes de relacionamento (Facebook, Twiter, Linkedin) e o endereço digital invadem o ambiente acadêmico. As notas das avaliações tornaram-se apenas um número que o aluno acessa de seu IPOD ou Tablet, na praia com seus amigos ou nos corredores da universidade. 
 
É importante, portanto, comemorar o dia do estudante, mesmo que todas as conquistas ainda não estejam alcançadas: a luta continua!

Você sabe por que 11 de agosto é o Dia Nacional do Estudante?

Compartilhe