podcast do isaúde brasil

Publicada em 02/09/2019 às 10h53. Atualizada em 02/09/2019 às 12h07

Curiosidades sobre Reposição Hormonal

Saiba quando ela é indicada e quais os possíveis efeitos colaterais.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

Muito se ouve falar em reposição hormonal, porém nem tudo é verdade. A fim de dirimir possíveis dúvidas, o iSaúde conversou com o nutrólogo, especialista em longevidade saudável e referência médica em implante hormonal, Dr. Aldo Grisi.

iSaúde – O que podemos entender por "reposição hormonal"? Quando ela é indicada?

Dr. Aldo Grisi - A reposição hormonal consiste em, após diagnosticar deficiência hormonal por meio de exames laboratoriais, fazer o uso de pequenas doses de hormônios. Essa reposição é indicada em homens e mulheres em qualquer idade, desde que haja deficiência.

iSaúde – Todas as mulheres podem fazer a reposição hormonal? Quando isso não é indicado?

Dr. Aldo Grisi – Nem todas as mulheres podem fazer reposição hormonal na pós-menopausa. Existem contraindicações absolutas e relativas, como, por exemplo, câncer de mama ou trombose. Cada caso deve ser criteriosamente avaliado.

iSaúde – Qual é a relação da reposição com o câncer de mama?

Dr. Aldo Grisi – Um grande estudo foi realizado utilizando hormônios conjugados de origem animal e esse estudo precisou ser interrompido devido a complicações nas pacientes. Existem cânceres que são hormônios dependentes, porém, atualmente, se faz uso de hormônio isomolecular em vez daquele que é produzido no organismo, a fim de reduzir riscos.

iSaúde – E com as doenças cardiovasculares?

Dr. Aldo Grisi – O órgão que tem mais receptor de testosterona é o coração. A reposição hormonal auxilia na qualidade de vida e reduz o risco de doença cardiovascular.  

iSaúde – Existem outros efeitos colaterais?

Dr. Aldo Grisi – Existem efeitos colaterais sim! Como toda e qualquer medicação, existem indicações e contraindicações. Pode haver sangramento vaginal, dor nas mamas, acne, oleosidade, pelos no rosto, aumento de clitóris, por exemplo. Porém esses efeitos podem ser controlados com uma boa indicação e doses adequadas de hormônio. 

iSaúde – Existe mais de um tipo de reposição hormonal?

Dr. Aldo Grisi – A reposição pode ser feita via oral, de forma transdérmica e atrás dos implantes hormonais – que é a melhor tecnologia disponível. Consiste em colocar a substância no tecido subcutâneo, e, assim, o hormônio vai sendo ao longo de 6 meses, em pequenas doses.

iSaúde – A fitoterapia pode ser considerada uma alternativa válida?

Dr. Aldo Grisi – Sim! A fitoterapia pode auxiliar bastante na diminuição dos sintomas, porém deve atuar como tratamento adjuvante, a fim de que o paciente continue a repor de fato os hormônios, aumentando a sua longevidade.

Compartilhe

Saiba Mais