podcast do isaúde brasil

Publicada em 05/06/2019 às 15h43. Atualizada em 05/06/2019 às 15h51

Dicas e recomendações para uma boa higiene oral de crianças autistas

Confira alguns cuidados para preservar a saúde de crianças com o espectro do autismo.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

A saúde oral de crianças com o espectro do autismo deve seguir cuidados semelhantes aos de crianças que não convivem com essa condição. Porém, alguns artifícios podem auxiliar pais e cuidadores a promover uma boa higiene oral. Nesse sentido, o iSaúde Brasil conversou com a dentista Norma Lúcia Luz Sampaio. Confira a entrevista.

iSaúde Brasil – Devido à sensibilidade ao toque, quais são os principais cuidados que se deve ter ao escovar os dentes de uma criança autista?

Norma Lúcia Luz Sampaio – Inicialmente, é necessário criar o hábito da higiene oral na criança que possui o transtorno do espectro. O ideal é introduzir lentamente os elementos da escovação, como a escova, o creme dental, o fio dental, enfim, a higiene oral na rotina da criança, para que, dessa forma, ela possa se habituar a fazer isso todos os dias.

iSaúde Brasil – Existe um tipo de escova e creme dental que são mais indicados para utilizar nessas crianças?

Norma Lúcia Luz Sampaio – Não. A criança com autismo não precisa de instrumentos de saúde bucal diferenciados, precisam apenas de escovas e cremes adequados para a idade dela.

iSaúde Brasil – Como o dentista deve instruir os pais no processo da escovação nessas situações?

Norma Lúcia Luz Sampaio – O dentista deve instruir os pais no sentido de criar o hábito da escovação na criança desde pequena,  levando-a sempre ao dentista. O mais importante é que seja incentivada a escovação constantemente e que os pais também escovem os seus dentes junto com a criança, para servirem de exemplo. 

iSaúde Brasil – Quais métodos os pais podem usar para acalmar a criança autista durante o processo de escovação?

Norma Lúcia Luz Sampaio – Na área da odontologia, temos visto um efeito muito positivo da inserção da música no acompanhamento do paciente. É um instrumento que ajuda a acalmar e relaxar, podendo ser usado pelos pais durante a escovação. Além disso, utilizar elementos lúdicos, como brinquedos que a criança goste, imagens e desenhos, ajuda a criança a gostar daquele momento e daquele ambiente.

iSaúde Brasil –Nos casos em que a criança possui algum tipo de inflamação na boca, como realizar a escovação?

Norma Lúcia Luz Sampaio – Bom... se ela tem uma inflamação na boca, a primeira coisa a ser feita é consultar um dentista, para que esse profissional faça um bom diagnóstico e descubra a causa dessa enfermidade. Após isso, é recomendado que seja realizado um tratamento específico para o tipo de inflamação que a criança tem. Como a criança vai rejeitar a escovação devido a dor e desconforto, o ideal é que o diagnóstico aconteça rapidamente.

iSaúde Brasil – Atividades lúdicas podem ser usadas para ajudar a criança no momento de escovar os dentes?

Norma Lúcia Luz Sampaio – Atividades lúdicas são sempre interessantes, pois tornam o momento de escovar os dentes agradável, e a criança passa a ter lembranças positivas daquele processo. Se o hábito da escovação e de visitar o dentista for inserido na vida da criança autista desde cedo, ela vai conseguir vivenciar esse processo sem desconforto.

iSaúde Brasil – A criança autista precisa visitar o dentista em uma frequência diferenciada? Caso necessite, qual seria a frequência indicada?

Norma Lúcia Luz Sampaio – Não. A criança com transtorno do espectro precisa visitar o dentista com a mesma frequência que toda a criança, desde cedo. O acompanhamento odontológico desde bebê é essencial para uma boa saúde, e o período de seis em seis meses ou de quatro em quatro meses é bastante adequado para cuidar da higiene bucal.

Compartilhe

Saiba Mais