podcast do isaúde brasil

Publicada em 04/11/2013 às 00h00.

Nova regulamentação permite que farmacêutico prescreva medicamentos

Medida envolve apenas renovação de receita para doentes crônicos ou indicação de tratamento para doentes não graves.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

A automedicação é uma postura constante da população, muitos chegam na farmácia com dores de cabeça, febre, resfriados ou doenças crônicas e solicitam medicamentos sem receita. No entanto, essa prática pode aumentar o risco e agravamento da doença ou sintoma e até camuflar doenças mais graves. Segundo o Conselho Federal de Farmácia (CFF) essa atitude "pode favorecer o agravamento da sua condição clínica, gerar novos problemas de saúde e até retardar o diagnóstico precoce e o início de terapia efetiva e segura".

A  resolução publicada em 26 setembro, no Diário Oficial da União (DOU), prevê ainda que o farmacêutico possa renovar as receitas de pacientes da rede pública que sejam doentes crônicos e precisem de medicamento de uso contínuo. A medida tem 180 dias para ser implantada.

Confira entrevista com a farmacêutica Ana Paula Ferreira.

iSaúde Bahia - O que faz um farmacêutico hoje e o que passará a fazer com a nova regulamentação?

Ana Paula - A assistência farmacêutica é uma prática realizada no balcão da farmácia, onde o farmacêutico presta orientação aos pacientes, quanto à posologia dos medicamentos. Existe também a orientação quanto aos medicamentos de venda livre. Com a nova regulamentação, essas orientações serão oficializadas através de uma receita prescrita pelo farmacêutico.

iSaúde Bahia - A senhora concorda com a nova regulamentação ou acha que apenas médicos podem dar  receita médica? 

Ana Paula - O farmacêutico tem formação em medicamentos. A nova resolução regulamenta que esse profissional prescreva medicações para "transtornos menores", como analgésicos e antitérmicos, o que beneficia pacientes que têm o hábito da automedicação, sem qualquer conhecimento dos fármacos e dosagens usuais, que variam de um paciente para outro, ressaltando que, quando necessário, esse paciente deverá ser encaminhado para consulta com o médico que avaliará a necessidade de realização de exames.

iSaúde Bahia - Será que o ambiente da farmácia é propício para fazer consultas? 

Ana Paula - Na verdade essa "consulta" será o primeiro atendimento, e, se necessário, deverá encaminhar para o médico. Pacientes, muitas vezes, passam horas e, em alguns casos, até dias, nas filas de postos de saúde, sendo que alguns casos podem ser resolvidos com atendimento do farmacêutico. Essa resolução estará facilitando o trabalho médico e beneficiando pacientes.

iSaúde Bahia - O que os paciente ganham com a nova regulamentação?

Ana Paula - Com a nova regulamentação, a tendência é reduzir a automedicação, que acaba, na maioria das vezes, prejudicando o próprio paciente, pelo uso inadequado de determinados medicamentos e doses.

Compartilhe