podcast do isaúde brasil

Publicada em 29/10/2019 às 11h08. Atualizada em 29/10/2019 às 13h58

Novidades no tratamento do câncer de mama

Imunoterapia, medicina de precisão e controle de peso apontam novos caminhos no trato oncológico.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

Pesquisas sobre o câncer de mama têm avançado bastante, trazendo novidades ao tratamento. Pacientes em estágio inicial, por exemplo, já podem ser submetidos a um exame que avalia o risco da doença e a necessidade ou não de cuidados complementares. Segundo estudo recente, este exame pode evitar a quimioterapia em um grande número de pacientes submetidos à cirurgia. Para a doença metastática, foram disponibilizados, no Brasil, novos medicamentos que aumentam, de forma significativa, a sobrevida e podem adiar a necessidade da quimioterapia. 

Importante ressaltar que o tratamento do câncer de mama depende do estágio da doença, das características do tumor e de cada paciente.  Isso pode incluir cirurgia, radioterapia e tratamentos sistêmicos, que são as medicações utilizadas para atingir as células do câncer. 

Outra novidade é a possibilidade de tratamento profilático em mulheres consideradas de alto risco para o desenvolvimento do câncer de mama. Também merece destaque a imunoterapia, principal avanço no tratamento do câncer nos últimos anos. A técnica estimula que o próprio sistema imunológico do paciente combata a doença. Entretanto, a imunoterapia não é indicada para todos os casos. Para o câncer de mama, por exemplo, só é realizada em situações específicas. 

Ainda no que diz respeito a novidades nessa área, a medicina de precisão é apontada como algo que já faz parte da prática médica. Os pacientes oncológicos são submetidos a testes moleculares que avaliam alterações genéticas de cada tumor. Em alguns casos, há medicações específicas, a terapia-alvo, para quem apresenta uma determinada alteração. Isso permite um tratamento mais direcionado, com maior taxa de resposta, ou seja, maior chance de bons resultados e, em alguns casos, menor toxidade.

Para os pacientes que já fizeram o tratamento, é importante lembrarmos de medidas que podem reduzir o risco de recidiva da doença. Como o câncer de mama está ligado também a fatores ambientais, já se sabe que o controle de peso e a prática regular de atividade física podem ajudar a diminuir a sua recidiva. Ainda não está claro se uma dieta específica também pode ter esse efeito, mas uma alimentação saudável traz, sem dúvidas, benefícios à saúde de forma geral.

O médico oncologista irá avaliar a indicação de cada tratamento para cada caso, além de fazer o acompanhamento regular e orientar quanto às medidas preventivas.

Apesar de tantos avanços, quando se fala de oncologia, os desafios ainda são enormes. O diagnóstico precoce ainda é o principal deles. Isso porque grande parte da população não tem acesso à informação para prevenção, assim como a um acompanhamento médico regular e a exames diagnósticos. Outro desafio é o acesso a medicações de alto custo. Temos muitos estudos mostrando benefícios com drogas que, infelizmente, não conseguimos oferecer a grande parte dos pacientes.

Compartilhe

Saiba Mais