podcast do isaúde brasil

Publicada em 19/08/2019 às 00h00. Atualizada em 19/08/2019 às 15h47

O que podemos entender por reeducação alimentar?

A adoção de novas práticas e comportamentos é a chave para construir novos hábitos alimentares.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

A reeducação alimentar é um conjunto de atitudes e comportamentos a partir de práticas educativas em alimentação e nutrição aplicado numa espécie de reorientação feita pelo profissional de saúde habilitado, nutricionista, o qual direciona o indivíduo para um planejamento ponderado, equilibrado e personalizado de padrão alimentar saudável, e não apenas uma prática de uma dieta universal generalizada e restritiva. Também chamada informalmente de “Reabilitação Complementar” e “Aconselhamento Alimentar”, através da ABESO (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade) a reeducação alimentar é fundamental, quando afirma: "Diga não às dietas e sim à reeducação alimentar.”

Reeducação alimentar pode ser entendida, então, como educar novamente a um novo sentido, talvez mudando em ações, práticas e, em alguns detalhes, a alimentação de uma pessoa. 

É a tomada de decisão por um alimento ou refeição, com um entendimento maior de que aquele não serve somente para satisfazer a necessidade básica do organismo de se alimentar, ou dar prazer, mas também entender que o alimento é bom, o porquê da sua utilização, quais as quantidades, fontes e tipos de alimentos que melhor convêm individualmente, respeitando e atuando, não só aspectos como o estado de saúde da pessoa, mas também, considerando sua condição sociopscicológica, financeira, padrões culturais individuais, crenças e tabus alimentares.

Dieta ou regime?

Na verdade, são compreendidos como o mesmo termo em geral, mas possuem aplicações diversas no vocabulário e, também, são compreendidas de forma diferente a depender de onde aparecem, na mídia ou em alguma conversa coloquial. 

A palavra “regime”, segundo sua definição em dicionários, significa: “a ação ou modo de reger, de governar, de dirigir; regulamento; administração ou regimento; conjunto das regras; modo, processo ou sistema”. Como visto, todos termos que carregam em seu significado severidade e rigidez. 

"Na área da saúde, a definição de regime alimentar seria “um modo peculiar de alimentação, com fins terapêuticos ou estéticos (por exemplo, com foco na perda de peso corporal)."

Na área da saúde, a definição de regime alimentar seria “um modo peculiar de alimentação, com fins terapêuticos ou estéticos (por exemplo, com foco na perda de peso corporal).

O termo “dieta” assemelha-se a regime no sentido de ser algo planejado, moldado e direcionado. Deriva da palavra diário e, em seu significado base, está atrelada a tudo que se realiza diariamente. Seria tranquilamente aplicado àquela noção de alimentação adequada inserida no cotidiano do indivíduo. Contudo, assim como a palavra antigamente aplicada para o mesmo sentido (regime), hoje toma-se a conotação de algo imposto, rigoroso e que, se não realizado, é gerador de culpa, insatisfação e até incompetência por aquele que não consegue se adequar e praticá-lo.

Na área de alimentação, a dieta seria uma alimentação direcionada dia a dia: “regime alimentício prescrito a uma pessoa; privação de todos ou de alguns alimentos, em caso de doença; emprego metódico das coisas úteis para a conservação da saúde ou predominância de um alimento na nutrição (a exemplo de uma dieta proteica, em que a proteína é predominante)”. Mais uma vez, verificamos que o termo tem mais associação com a noção de “obrigatoriedade”, e até remete mais ao foco “doença” do que “saúde”.

Portanto, ambas sobrecarregam demais o indivíduo no “só depende de você”; “faça suas escolhas e assuma as consequências”, numa postura ditada que não educa em nada o indivíduo a conhecer sobre os alimentos, nem incute na ideia do ser humano a essência da alimentação adequada.

Principais motivos que fazem uma dieta "ir por água abaixo"!

As conhecidas dietas, muitas vezes nem elaboradas pelo profissional habilitado  para isso, o nutricionista, carregam, quase sempre a “promessa” de serem duradouras em seus efeitos e rápidas em sua eficácia. Porém, o verificado é justamente o oposto, quando, mesmo conseguindo alcançar o objetivo estipulado pela dieta aplicada, os efeitos e a sua permanência alcançados são breves, podendo até trazer mais prejuízos à saúde do que benéficos, quando se trata de alimentação.

Por serem absolutamente radicais, restritivas ao extremo, “cortarem” muitos itens de uma alimentação comum como o “cortar todos os carboidratos”; ditarem quantidades diminutas de alimento por refeição “dieta dos 100g”; por pregarem o consumo de, às vezes, apenas um item alimentar como a “dieta da melancia”, as dietas tem a fama de “ir por água abaixo”. São insustentáveis ao ser humano, que é dotado de demandas diversas que envolvem, tanto aspectos de saúde, como sociopscicológicos, de satisfação e de estética. É também impossível viver por muito tempo em restrição extrema, subordinado a situações incabíveis num cenário de inúmeras possibilidades como o atual, como numa dieta apenas de bebidas shakes, ou baseadas em suplementos industrializados, sem o consumo essencial e de base em uma alimentação de qualidade.

Por serem geralmente infundadas, ou seja, não possuírem um respaldo teórico- científico para explicar suas vantagens, geralmente não permanecem no dia a dia humano e são logo trocadas por outras dietas que surgem com a moda, ou mesmo são abandonadas e, em certos casos, pioram a situação alimentar e a saúde da pessoa.

Dieta, Regime ou Reeducação?

O primeiro passo é a tomada de consciência. Se a alimentação está necessitando de alterações é porque o padrão alimentar atual e, provavelmente, a situação de saúde atual, também, não estão conforme o ideal. A partir daí, a ideia principal é a mudança de hábitos gerais que também tem influência sobre nosso comportamento alimentar. E como isso se dá? Primeiramente, buscando um profissional de saúde, um nutricionista e até uma equipe multidisciplinar em saúde, se for o caso. Em seguida, não buscar a solução “mais rápida” nem “mais fácil”, apenas, pois essa pode não ser a melhor, e, sim, seguir o orientado pelo profissional e aplicar, ao seu dia a dia, uma mudança da visão do alimentar, entendendo que o alimento é fonte de vida e saúde, e ter uma alimentação adequada é o pilar mais forte para toda a saúde.

Sendo assim, dietas e regimes são de cunho passageiro. Se a busca é por algo permanente e que modifique a vida beneficamente em longo prazo, a reeducação alimentar é um caminho, flexível, adequado e rico para aqueles que buscam a saúde alimentar.

A ideia da reeducação alimentar não deve ser compreendida apenas como a marca conhecida do “...sem passar fome”, mas sim, a incorporação de uma alimentação saudável e de hábitos também saudáveis em longo prazo para a vida.

Compartilhe

Reeducação Alimentar

A reeducação alimentar é um conjunto de atitudes e comportamentos a partir de práticas educativas em alimentação e nutrição aplicado numa espécie de reorientação feita pelo profissional de saúde habilitado, nutricionista, o qual direciona o indivíduo para um planejamento ponderado, equilibrado e personalizado de padrão alimentar saudável, e não apenas uma prática de uma dieta universal generalizada e restritiva. Também chamada informalmente de “Reabilitação Complementar” e “Aconselhamento Alimentar”

Serviços Gratuitos
  • Centro Médico Bahiana Saúde
    Tel.: (71) 3276 8200
    Av. D. João VI, 275, Brotas, Salvador, Bahia, CEP. 40.290-000
  • Centro de Estudos e Atendimento Dietoterápico - Cead
    Universidade do Estado da Bahia - UNEB
    Tel.: 71 3117-2200, Rua Silveira Martins, 2555, Cabula,Salvador,Bahia, CEP: 41.195.001
  • Consultório Dietético
    Escola de Nutrição da Universidade Federal da Bahia
    Tel.: (71) 3283-7714 / 7700
    Av. Araújo Pinho, nº32, Canela, Salvador, Bahia