podcast do isaúde brasil

Publicada em 02/09/2019 às 12h08. Atualizada em 03/09/2019 às 11h24

O que você entende por catarata senil?

Conheça um pouco mais sobre causas do problema e o método da facoemulsificação.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

Exposição à radiação ultravioleta, traumas oculares, processos inflamatórios do olho, uso de corticoide e cirurgias oculares são alguns fatores de causa da catarata senil, doença que costuma se manifestar a partir dos 55 anos de idade. Neste bate-papo com a médica-oftalmologista Ilara Guerra, o iSaúde levantou hábitos preventivos e novos tratamentos, a exemplo da facoemulsificação.



iSaúde – O que é catarata senil e quais são as causas dessa doença?

Ilara Guerra – Catarata senil é a opacificação do cristalino, uma lente natural que fica atrás da pupila. Com o avanço da idade, ela sofre variações metabólicas das suas fibras, tornando-se opaca. A idade é um fator para o aparecimento da catarata, habitualmente a partir dos 55 anos, assim como exposição à radiação ultravioleta, traumas oculares, processos inflamatórios do olho, uso de corticoide e cirurgias oculares. Bebês também podem nascer com catarata.

iSaúde – Quais são as formas de prevenção da catarata?

Ilara Guerra – Uso de óculos esporte com proteção UVA e UVB; e evitar, quando possível, medicações que contenham corticoides. É ideal também realizar visitas regulares ao oftalmologista.

iSaúde – Um dos métodos de cirurgia mais atuais para a catarata é o da facoemulsificação. Como funciona esse procedimento?

Ilara Guerra – Após anestesia tópica com colírio e sedação venosa, são introduzidas duas cânulas que, inicialmente, liberam uma espécie de ultrassom para fragmentar a catarata. Depois, elas mudam de função e aspiram o conteúdo fragmentado. Uma lente intraocular transparente é colocada no lugar da catarata e, em muitos casos, nem é necessário dar pontos. A depender do tipo de lente implantada, muitas vezes, o paciente nem precisa usar óculos após a cirurgia.

iSaúde – Como consiste o pré-operatório da facoemulsificação?

Ilara Guerra – É feita uma avaliação global da saúde do paciente, por meio de exames de laboratório, eletrocardiograma e raio-X de tórax.

iSaúde – Quais são as vantagens da facoemulsificação em relação a outros tipos de cirurgia de catarata?

Ilara Guerra – Mais segura, com menor tempo de cirurgia, menor trauma e, consequentemente, recuperação mais rápida do paciente.

iSaúde – Quais são as complicações que podem surgir no momento da facoemulsificação?

Ilara Guerra – Aumento da pressão ocular, descompensação corneana, descolamento de retina entre outras.

iSaúde – Como funciona o pós-operatório? Quais as recomendações necessárias para o paciente ter uma boa recuperação?

Ilara Guerra – Evitar atividades físicas e dirigir por algum tempo, utilizar as medicações prescritas pelo médico-cirurgião e comparecer às revisões agendadas.

iSaúde - Após a cura da catarata, por meio do método da facoemulsificação, há possibilidade do reaparecimento da doença?

Ilara Guerra - Não. Às vezes, acontece uma opacificação da lente intraocular, que é resolvida com um procedimento simples, a laser, realizado em consultório.

iSaúde – Existem casos em que a pessoa com catarata não pode fazer a facoemulsificação?

Ilara Guerra – Em alguns casos em que a catarata está muito madura, endurecida, alguns cirurgiões, preferem operar pela técnica de facectomia extracapsular.

Compartilhe

Saiba Mais