podcast do isaúde brasil

Publicada em 29/10/2019 às 14h14. Atualizada em 04/11/2019 às 22h12

Osteoporose: uma doença silenciosa

Perda de massa óssea, muitas vezes, só percebida após a ocorrência de fraturas. Saiba mais.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

Uma doença silenciosa, que pode não causar sintomas e da qual muita gente só recebe o diagnóstico após a ocorrência de fraturas, quando os ossos já estão bastante enfraquecidos. Esse é um dos principais desafios no combate à osteoporose, enfermidade caracterizada pela perda progressiva de massa óssea. 

A perda de massa óssea que ocorre na osteoporose se acelera com a idade, o que faz do envelhecimento um fator importante. No entanto, há outras causas, como o uso de medicamentos e as doenças reumáticas e endócrinas, que atingem pessoas de qualquer idade, inclusive jovens. Daí a importância de que todos estejam atentos. O fator hormonal também é muito relevante, o que deixa as mulheres mais propensas, principalmente após a menopausa, quando existe queda dos níveis de estrógeno. 

Trata-se de uma enfermidade bastante conhecida, mas ainda pouco diagnosticada e tratada tardiamente. O exame inicial mais adequado é a densitometria óssea, que permite diagnosticar e avaliar o estágio da doença. O médico também deve solicitar alguns exames de laboratório para avaliar possíveis causas de osteoporose, principalmente se a doença foi precoce. 

"Existem medidas que retardam ou evitam o desenvolvimento da doença, por isso a prevenção é muito importante." 

Existem medidas que retardam ou evitam o desenvolvimento da doença, por isso a prevenção é muito importante. Isso inclui a prática de exercícios físicos, alimentação adequada, não fumar e evitar bebida alcoólica, além de não abusar de café e sal. O consumo de leite e derivados continua sendo a principal fonte de cálcio da nossa dieta. Para quem possui alergia ou intolerância confirmada, é necessário buscar outras alternativas na dieta ou na ingestão de suplementar. Outras fontes de cálcio são: espinafre, couve, escarola, agrião, brócolis, sardinha, aveia, entre outros.

O tratamento inclui a reposição de cálcio e vitamina D e o uso de medicações que impedem a reabsorção do osso, como os bisfosfonatos. Atualmente, há também opções de medicações injetáveis semestrais ou anuais. Precisamos disseminar informação e conscientizar a população dos riscos das fraturas por osteoporose. Prevenção e diagnóstico precoce são sempre o melhor caminho. 

Compartilhe

Saiba Mais