podcast do isaúde brasil

Publicada em 12/08/2019 às 17h10. Atualizada em 12/08/2019 às 17h51

Saúde Mental: O que são Transtornos Alimentares?

Conheça as causas e tratamentos para esse problema.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

Eles se manifestam com mais incidência em mulheres na adolescência ou no início da fase adulta. Segundo o psicólogo Joaquim Moura, os transtornos alimentares estão diretamente ligados a processos de ansiedade. “O excesso de preocupação com o corpo e a autocobrança podem estimular essa ansiedade, que se converte em compulsão ou falta de apetite”, afirma o psicólogo. Confira a entrevista.

iSaúde Brasil – O que é transtorno alimentar? 

Joaquim Moura – O transtorno alimentar é uma anormalidade no comportamento alimentar que pode levar à obesidade, emagrecimento extremo ou a outros problemas físicos.

iSaúde Brasil – Há fatores que contribuem para o surgimento do transtorno alimentar?

Joaquim Moura – A ansiedade é um grande fator que pode contribuir para um comportamento atípico relacionado à alimentação. O excesso de preocupação com o corpo e a autocobrança podem estimular essa ansiedade que se converte em compulsão ou falta de apetite.

iSaúde Brasil – Quais os tipos mais comuns de transtornos da ansiedade e como identificá-los?

Joaquim Moura – A anorexia, a bulimia e o comer compulsivo são os transtornos alimentares mais comuns. Esses transtornos são facilmente identificáveis, pois a rotina alimentar da pessoa acaba se modificando, bem como a sua estrutura física. Problemas clínicos podem aparecer atrelados a esse transtorno.

iSaúde Brasil – Como os familiares podem auxiliar o paciente?

Joaquim Moura – O maior auxílio que os familiares podem dar é ouvindo o paciente e encaminhando-o para um profissional especializado na área.

Saúde Brasil – Quais são os sintomas físicos de quem sofre algum transtorno alimentar?

Joaquim Moura – Os sintomas variam de acordo com o diagnóstico do transtorno alimentar. Eles podem variar entre ganho ou perda de peso, interrupção no ciclo menstrual, problemas cardiorrespiratórios, falta de energia, falta de força, insônia, dentre outros.

iSaúde Brasil – É possível reverter o quadro da doença?

Joaquim Moura – Sim. Com o tratamento adequado, esse quadro pode ser revertido. O quanto antes for diagnosticado e iniciado o tratamento, melhor o prognóstico.

iSaúde Brasil – Quais são os sinais de alerta? 

Joaquim Moura – Ganho ou perda de peso de forma abrupta, problemas clínicos relacionados ao excesso ou perda de peso, baixa de energia, irritabilidade, insônia, problemas nos relacionamentos interpessoais, autoimagem negativa, autoestima baixa e queda no rendimento escolar.

iSaúde Brasil – Quais os tratamentos?

Joaquim Moura – Para quadros mais leves, indica-se o atendimento ambulatorial com psiquiatra e psicólogo. Quadros mais graves podem levar a um internamento dia ou até uma internação total, tanto clínica quanto psiquiátrica. Lembrando que, nesses casos, é imprescindível uma avaliação clínica e um tratamento nutricional atrelado.

iSaúde Brasil – Esse tipo de patológica pode se tornar reincidente?

Joaquim Moura – Pode sim. Considera-se que esse transtorno é um reflexo do inconsciente a algo que não esta correto na vida da pessoa (seja na ordem psíquica, social ou comportamental). Nesse caso, o adoecimento pode vir como uma ferramenta de reorganização da psique. Por conta disso, o psicólogo é sempre indicado para desenvolver novas ferramentas de enfrentamento para o paciente poder manter a sua saúde e equilíbrio.

iSaúde Brasil – Há uma idade mais propensa ao desenvolvimento de transtornos alimentares?

Joaquim Moura – A associação americana de psiquiatria, em 2013, avaliou que os transtornos alimentares têm maior incidência nas mulheres e podem ocorrer, principalmente, na adolescência ou no início da idade adulta.

Compartilhe

Saiba Mais