podcast do isaúde brasil

Publicada em 02/08/2018 às 15h53. Atualizada em 02/08/2018 às 16h03

Vacina contra a gripe quem deve tomar? Por que e como funciona?

Durante esta época do ano, as pessoas começam a ficar preocupadas com a gripe. E é exatamente nesse período que aumenta a demanda por vacinação contra a doença. Mas será que todo mundo deve tomar a vacina? Ela é mesmo segura?

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

A vacina contra gripe é segura e salva vidas. Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir de 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias, de 39% a 75% a mortalidade global e em, aproximadamente, 50% as doenças relacionadas à influenza.  A vacina influenza ofertada no SUS é recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e produzida, no Brasil, pelo Instituto Butatan em parceria com o laboratório privado Sanofi Pasteur. As vacinas das campanhas atuais são trivalentes e protegem contra os tipos de vírus influenza A (H1N1), A (H3N2) e influenza B, que são os vírus de maior importância epidemiológica, de acordo com a própria OMS.

A vacina é ofertada, anualmente, durante a Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza, com o objetivo de reduzir as complicações e as internações decorrentes das infecções causadas pelos vírus, nos grupos prioritários para vacinação.

O público-alvo, ou seja, o grupo prioritário da vacinação contra influenza, no SUS, são crianças de seis meses até menores de cinco anos, gestantes, puérperas, idosos, indígenas e pessoas com comorbidades, as quais têm mais risco de ter complicações graves em decorrência da influenza. Além disso, também fazem parte do público-alvo profissionais da saúde, professores das escolas públicas e privadas, pessoas privadas de liberdade (dentre elas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade, sob medidas socioeducativas) e profissionais do sistema prisional.

Após a aplicação da vacina, podem ocorrer, de forma rara, dor, vermelhidão e endurecimento no local da injeção. São manifestações consideradas benignas, cujos efeitos costumam passar em 48 horas.  A vacina é contraindicada para pessoas com história de reação anafilática prévia em doses anteriores ou para pessoas que tenham alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados. É importante procurar o médico para mais orientações. 

Gripe ou resfriado?

Junto com a gripe, o tempo frio também traz outras doenças respiratórias, como o resfriado. Existe diferença entre eles, mas os sintomas são muito parecidos.

A gripe é causada pelo vírus influenza. Os principais sintomas são: febre alta, seguida de dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça, coriza e tosse seca. A febre forte talvez seja o sintoma mais característico e dura em torno de três dias. A transmissão do vírus da gripe ocorre por meio do contato com secreções das vias respiratórias de uma pessoa contaminada, ao falar, tossir ou espirrar. 

Já o resfriado é causado por vírus diferentes e, geralmente, acomete crianças. Os sintomas do resfriado, apesar de parecidos com os da gripe, são mais leves e duram menos tempo, entre dois e quatro dias, no total. Os sintomas incluem: tosse, congestão nasal, coriza, leve dor no corpo e na garganta. Não é muito comum ter febre durante um resfriado e, quando acontece, não eleva muito a temperatura do corpo.

Referências:

Ministério da Saúde

Compartilhe

Saiba Mais