podcast do isaúde brasil

Publicada em 04/10/2012 às 00h00.

Você é mulher e sente dor nas articulações? Cuidado!

Doença que atinge três mulheres para cada homem, a artrite reumatóide pode levar a deformidades graves. Conheça mais sobre ela no artigo do reumatologista Dr. Jozélio Freire de Carvalho.

CONTEÚDO HOMOLOGADO
Compartilhe

A artrite reumatóide (AR) é uma doença autoimune (o organismo se ataca) na qual há inflamação das articulações (artrite) podendo levar a deformidades graves e envolvimento sistêmico. As mulheres são mais acometidas pela doença numa proporção de três para cada homem e a faixa etária predominante é dos 40 aos 60 anos de idade.

"As mulheres são mais acometidas pela doença numa proporção de três para cada homem e a faixa etária predominante é dos 40 aos 60 anos de idade".



As pessoas, com esse perfil, devem ficar atentas às dores nas articulações, associadas a sinais inflamatórios (edema, calor) principalmente das mãos, punhos, cotovelos, joelhos e tornozelos.

A rigidez matinal é muito comum e dura geralmente mais de uma hora. Outros sinais são a presença de nódulos reumatóides (pequenos caroços) sobre cotovelos e dedos. O paciente pode apresentar também olhos e boca secos, sintoma denominado Síndrome Sicca.

"A rigidez matinal é muito comum e dura geralmente mais de uma hora". 



A presença desses sintomas indica um controle inadequado da doença. O paciente deve seguir com o especialista que, neste caso, é o médico reumatologista. Ele irá tratar e evitar que ocorram tais sinais e sintomas. 

Os pacientes com AR são tratados com anti-inflamatórios, corticosteóides e drogas modificadoras da doença, como o metotrexato, sulfassalazina, ciclosporina e leflunomida. Atualmente, existem disponíveis os medicamentos biológicos quando os anteriores não funcionaram ou trataram parcialmente a doença. 

No caso de pessoas que sofrem de AR e que não têm conhecimento e, por isso, não se submetem a um tratamento adequado, o quadro pode evoluir com a destruição das articulações e redução importante de suas funções, como locomover-se, utilizar normalmente as mãos etc.. Fato muito importante: a AR está associada com aterosclerose com presença de infartos. Desta forma, o tratamento dessa doença reduz a mortalidade e a chance de eventos cardiovasculares. 

Atualmente, existem diversos medicamentos biológicos como o adalimumabe, certolizumabe, etanercepte, colimumabe e infliximabe que são inibidores de uma substância chamada TNF (fator de necrose tumoral), rituximabe e abatacepte que inibem células imunes (linfócitos B e T) e tocilizumabe que inibe a interleucina 6. Existem outros biológicos que estão sendo pesquisados e deverão entrar no Brasil nos próximos anos.

 

Compartilhe
Serviços Gratuitos
  • Ambulatório Docente-Assistencial da Bahiana (ADAB)
    Tel.: (71) 3276 8200
    End. Av. D. João VI, 275, Brotas, Salvador, Bahia, CEP. 40.290.000
  • Hospital Universitário Prof. Edgard Santos (HUPES)
    Tel: 3283-8392
    Rua Augusto Viana S/N, Canela, Salvador, Bahia - Cep 40.110-060
Mídias Sociais