podcast do isaúde brasil

Publicada em 20/12/2013 às 00h00. Atualizada em 20/12/2013 às 14h19

Ansiedade: é possível controlar?

Saiba o que é o transtorno de ansiedade e aprenda alguns hábitos para uma vida mais saudável.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

"A ansiedade é uma vivência universal, um estado emocional humano assim como o medo, a raiva, o amor".

A ansiedade é uma vivência universal, um estado emocional humano assim como o medo, a raiva, o amor. Emoções são experiências simples de diferenciar, porém difíceis de definir de forma precisa, assim entender que amor é diferente de ansiedade é algo relativamente simples, conceituar, no entanto, não é tarefa fácil.

Todos nós sentimos ansiedade em situações como, por exemplo, a expectativa de algo importante que possa dar errado, ou seja, é normal sentir ansiedade frente à incerteza. A ansiedade é um estado de funcionamento cerebral que visa um maior grau de sucesso do indivíduo, dizendo de outra forma, a ansiedade prepara o indivíduo para lidar melhor com algumas situações. Cabe ao médico psiquiatra identificar quando a ansiedade perde sua característica adaptativa e passa a causar sofrimento excessivo ou prejuízo funcional, transformando-se em um transtorno de ansiedade. 

O paciente portador de um quadro patológico de ansiedade pode apresentar pensamentos de apreensão por algum desfecho desfavorável relacionado com eventos do cotidiano – por exemplo, medo de cometer um erro na frente de colegas e ser criticado em público. Também pode ocorrer a sensação de tensão, nervosismo, insegurança, sensação de estranheza. 

As pessoas que desenvolvem um transtorno de ansiedade podem apresentar ainda sintomas físicos tais como palpitação, desconforto respiratório com sensação de falta de ar, sudorese, boca seca, náuseas, vômitos, diarreia, micção frequente, sensação de bolo na garganta, ondas de calor ou frio, formigamentos, tontura, tremores, dores diversas e inespecíficas, inquietação, sobressaltos e insônia.

"Além do tratamento médico e psicoterapêutico, a família e os amigos devem ajudar participando ativamente do processo terapêutico apoiando e incentivando o paciente".

 

Exercícios respiratórios podem ajudar no controle de sintomas ansiosos agudizados (ataques de pânico), sentar-se confortavelmente, fazer o ar entrar nos pulmões de forma lenta, segurar o ar nos pulmões por 2 ou 3 segundos e, em seguida, soltar vagarosamente o ar, fazendo uma breve pausa antes de iniciar uma nova inspiração. Manter uma respiração lenta e regular é o mais importante, o exercício respiratório pode ser feito por 3 ou 5 minutos, levando a atenuação dos sintomas ansiosos extremos. Lembrar que o pico de ansiedade intensa dura poucos minutos e que manter a calma ajuda no controle dos sintomas é importante para a tranquilização desses pacientes.

O tratamento dos transtornos ansiosos envolve psicoterapia e medicamentos. A principal classe dos medicamentos utilizada é a dos antidepressivos que costumam ser prescritos com frequência e, em geral, levando a bons resultados. 

Os transtornos de ansiedade podem levar a grande sofrimento e limitação. Além do tratamento médico e psicoterapêutico, a família e os amigos devem ajudar participando ativamente do processo terapêutico apoiando e incentivando o paciente. Tolerância e acolhimento são importantes para que o doente aceite sua doença e siga corretamente o seu tratamento.

Compartilhe